CLUBE MAIS DIGA ONDE TEM, resgate cupons, colete selos, consiga pontos e ganhe recompensas. Baixe o aplicativo!

Educação

Por que o IDEB é importante para a educação?

A um mês do início da aplicação do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), de 2019, do Ministério da Educação (MEC), a rede estadual de ensino do Maranhão está concentrada na qualidade da aprendizagem, com as rotinas pedagógicas intensificadas, aulões aos sábados, acompanhamento e monitoramento das atividades, entre outras ações importantes para melhorar o desempenho dos estudantes.

Desde 2015, quando o governador Flávio Dino assumiu o Governo do Estado, a cada ano de aplicação, temos a certeza de que estamos seguindo um caminho ascendente e sem volta. Digo isso, porque encontramos a rede com um dos mais baixos índices, entre as unidades da federação e, de lá para cá, a cada ano, elevamos nossa nota, que saiu de 2,8 (2013) para 3,4 (IDEB 2017), saltando da 21º posição para a 13ª no ranking dos estados brasileiros.

Mas por que o IDEB é tão importante para o Maranhão? A concepção da atual gestão do Governo do Estado é de que o IDEB possibilita, sobretudo, que o Estado afira suas políticas educacionais e tome medidas cada vez mais assertivas para a melhoria da qualidade da aprendizagem dos estudantes da rede pública, que têm a educação como caminho para um futuro digno.

Em uma de suas reflexões, a professora maranhense Silvana Machado sublinha no livro “Avaliação da Aprendizagem. Entre Concepções e Práticas”, que “A avaliação não é uma atividade mecânica e isolada, o sentido da práxis avaliativa é, sobretudo, atribuir poder de decisão sobre a ação dos sujeitos envolvidos, agir para conhecer e conhecer para transformar, esse é o caminho para a qualidade na educação” (BASTOS, Silvana. 2006, pág. 43). Ainda acrescenta, na página 106: “Avaliar é demarcar referências num processo mais global de formação humana. Nesse sentido tem um caráter informativo e formativo, traduzindo-se nisso seu aspecto qualitativo”.

Notadamente, o IDEB fornece elementos significativos, como o rendimento dos estudantes, de que forma estão aprendendo e passando de ano. Isso implica subsídios para os professores avaliarem suas metodologias, planos de aula e objetivos pedagógicos para a aprendizagem. Também, cabe destacar que, nos últimos anos, o Índice passou a servir como referência para o mercado de trabalho na hora de contratar um profissional.

Portanto, o IDEB vai muito além de um índice que mostra a posição da educação do Maranhão, em relação aos outros estados brasileiros. Aponta metas, prioridades para alocação de investimentos, seja na melhoria da infraestrutura escolar – como estamos fazendo, com a reforma, revitalização e construção de escolas, chegando a mais de 900 obras educacionais em todo o Estado -, na valorização dos profissionais do magistério com a formação continuada; o Programa Mais IDEB, que fortalece as ações focadas na aprendizagem no chão das escolas; o suporte às unidades de ensino com o suprimento de materiais didáticos, mobílias adequadas, alimentação de qualidade, laboratórios, bibliotecas, quadras poliesportivas, espaços de convivência e tantos outros investimentos educacionais que o governo Flávio Dino vem fazendo, de ponta a ponta, no Maranhão.

Este governo já está nos anais da história da educação maranhense, pela série de marcos, atendendo a demandas antigas. Uma delas, no âmbito da avaliação, foi a criação do SEAMA – Sistema Estadual de Avaliação do Maranhão, ação inédita, que permite o acompanhamento dos indicadores educacionais de todas as escolas das redes públicas municipais e estadual e que rompeu paradigmas, como bem assinalou a educadora Maria de Fátima Barbosa, gestora da Unidade de Ensino São Miguel, pertencente à rede municipal de Trizidela do Vale, durante visita ao Palácio dos Leões, acompanhada de seus alunos: “[…] Jamais um governo olhou para o Ensino Fundamental como ele [governador Flávio Dino] olhou. Eu vi o ‘SEAMA’ como um raio x dos nossos alunos, pudemos ver onde cada um precisa melhorar, onde devemos atuar”, revelou.

Isso enche de orgulho o governador Flávio Dino e todos nós, que temos o privilégio de participar dessa revolução tal qual se referiu o deputado federal Orlando Silva, na última semana, em uma entrevista, ao mencionar o trabalho deste governo na educação: “[…] tem feito uma revolução focando na educação. ”

O SAEB deste ano será aplicado no período de 21 de outubro a 1º de novembro. No Maranhão serão, ao todo, 82.270 estudantes avaliados em Língua Portuguesa e Matemática, em 751 escolas da rede estadual, com as turmas de 5º e 9º anos do ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio. Também, haverá uma amostra dessas séries pertencentes a escolas privadas e uma amostra de alfabetização em turmas do 2º ano do Ensino Fundamental; e serão avaliadas Ciências da Natureza e Humanas, em turmas do 9º ano do ensino Fundamental.

Que venha o SAEB 2019! Tenho certeza de que todos juntos, estudantes, professores, gestores e dirigentes educacionais do nosso Estado darão o melhor de si para mostrar que o Maranhão mudou e é de todos nós!

“É preciso avançar para a transformação […]. E avançar pressupõe reflexão sobre o que se tem, conhecer a prática para que se possa modificá-la. ” BASTOS, Silvana. 2006.

Felipe Costa Camarão
Professor
Secretário de Estado da Educação 
Membro da Academia Ludovicense de Letras e Sócio do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CLUBE MAIS DIGA ONDE TEM, resgate cupons, colete selos, consiga pontos e ganhe recompensas. Baixe o aplicativo!