CLUBE MAIS DIGA ONDE TEM, resgate cupons, colete selos, consiga pontos e ganhe recompensas. Baixe o aplicativo!

Cotidiano

No sul do Maranhão e do Piauí uma história de horror, ganância e divórcio pode levar uma grande empresa à falência.

Você vai conhecer agora o drama vivido por um empreendimento do agro negócio, A Risa S/A uma empresa consolidada no Maranhão e Piauí, pioneira na região, possui seis fazendas. A Risa S/A ainda investe na área de fertilizantes e revenda de defensivos e máquinas agrícolas, tem uma frota de mais de 200 caminhões, e emprega de forma direta cerca de 1.400 trabalhadores, pais de famílias que poderão ficar sem seus empregos caso a guerra judicial não seja resolvida pela justiça o mais breve possível, pois as decisões de idas e vindas só atrasam a solução do imbrólio.

A empresa já começou a sofrer prejuízos por causa dessa briga judicial entre Salete Teresinha Gewehr dona de 45% das ações da empresa e José Antônio Gorgen presidente do grupo e acionista majoritário, os dois foram casados no papel por 30 anos, não se sabe ao certo quanto tempo estavam separados de fato, mas o que tudo indica já mantinham um casamento de aparências a mais de 10 anos, pois já haviam se separado no passado o que motivou desde o início José Antônio separar os bens e blindar a empresa de todas as formas separando assim as ações de cada um e pagando também os dividendos dos lucros anualmente para ela, o que circula pela sociedade de Balsas é que ela não suportou a exigência dele em se divorciar no papel, pois fez um escândalo no cartório da cidade no dia que descobriu que a juíza Tinha decretado o divórcio já que ninguém é obrigado a permanecer casado, e permitiu que ele se casasse novamente, depois disso a ex mulher já moveu 16 processos contra o ex marido e atual sócio na empresa, o que ela quer os 5% que pertencem a ele, pois os dois foram casados em separação parcial de bens e ele já tinha uma fazenda que gerou o capital para comprar a Ribeirão agrícola atual Risa S.A. é notório o desequilíbrio da autora dos processos, pois rolou até agressão verbal dentro do cartório quando a mesma soube que estava divorciada, passou a noite no hospital devido por causa do acesso de raiva, mesmo ela tendo recebido todos os direitos e vantagens quando da separação, e isso hoje tem lhe permitido viver uma vida de ostentação com viagens ao exterior sempre acompanhada de amigos e amigas, além de manter no dia a dia uma vida cercada de luxo e carros caros, ainda mantidos pela empresa.
Mas, parece que Salete Teresinha não está satisfeita com esse final que para milhões de pessoas seria feliz, pois ela quer muito mais do que tem recebido. Entre os processos: Ela deseja que José Antônio Gorgen saia da casa que pertence à Risa na fazenda Modelo que ele usa para Estreitar laços com os negociadores e ficar mais perto do dia a dia do campo experimental, o que parece que tem dado certo, pois a Rissa passou por duas secas e saiu ilesa diferente de muitas outras empresas do setor que até pediram recuperação judicial.

O empresário José Antônio Gorgen é um homem muito admirado e respeitado no meio do agronegócio está entre os mais influentes do setor e é reconhecido por sua forma honesta de trabalhar. Já sobre a sua sócia Salete Teresinha gewher pouco conseguimos descobrir no meio profissional, descobrimos apenas os “barracos” acusados por ela. Ao que consta nos processos em momento algum José Antônio desejou ou propôs retirar qualquer direito ou vantagem da ex mulher, e na verdade a briga se restringe à vontade da senhora Salete Teresinha querer os 5 % que é dele por direito visto que, eles foram casados em regime de comunhão parcial de bens, e o mesmo já possuía uma fazenda antes de casar com ela e foi exatamente essa fazenda que gerou o capital (renda) para comprar a Ribeirão agrícola, hoje a empresa Risa S.A

A empresa já está sentindo as consequências dessa peleja judicial, este ano a Risa deixará de plantar 35 mil hectares, pois não renovaram o contrato de arrendamento com 3 fazendas, alguns clientes antigos resolveram cancelar os pedidos de produção por se sentirem inseguros com a atual indefinição administrativa já que ela briga para tomar a presidência da empresa o que segundo funcionários e especialistas do agro seria uma catástrofe já que a empresa sempre foi tocada por ele. Com toda essa confusão será impossível gerar os 400 novos empregos previstos no planejamento para 2020. Para se ter uma idéia do prejuízo, em apenas uma dessas negociações que foram suspensas, a Risa deixará de faturar mais de 37 milhões de reais (R$ 37.335.585,60). Como uma avalanche isso traz consigo incertezas sobre os atuais empregos gerados pela Risa.

As vantagens de Salete Teresinha:

Mesmo sem trabalhar Salete Terezinha Gewehr receberá esse ano 180.000 mil reais por mês, usa três carros da empresa a sua disposição (2 SW4 2018 e 1 Amarok 2019), enquanto o presidente da empresa tem apenas uma SW4 modelo 2012 e os outros diretores apenas 1 carro à sua disposição.

Salete Terezinha Gewehr também se apoderou de uma chácara na cidade que antes era do casal, impossibilitando a entrada do empresário lá ( quer deixá-lo sem casa) fazer com que ele se afaste da cidade onde a empresa tem sede e passe a morar em São Luís onde ele tem um apartamento, ( qual será a intenção dela nisso ?) Ela também ficou com uma casa luxuosa em Balsas e dois apartamentos em bairros nobres de Goiânia.

 

 

 

Ela faz, em média, 3 viagens ao exterior por ano. E sempre viaja com as amigas, como faz questão de mostrar em suas redes sociais. Por mais que alguém queira aí não existe uma pobre mulher abandonada.

 

 

 

 

OS MOTIVOS QUE TIRARAM SALETE DO CARGO DE VICE-PRESIDENTE:

1- Contratar um advogado pra defender os interesses exclusivamente dela, mas colocando a Risa para pagar os honorários dele. Pois, ela fez o contrato de 20.000,00 mais despesas mensais em nome da Risa.

2- Comprar uma caminhonete Amarok para o filho em nome da Risa.

3- Por inúmeras vezes, tirar do caixa da empresa valores sem o conhecimento do responsável pelo financeiro e sem prestar conta.
4- Caso de agressão:
Além disso, Salete Terezinha Gewehr teria agredido (documento em anexo) uma funcionária do financeiro que se recusou a fazer uma transferência não autorizada para a conta dela.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CLUBE MAIS DIGA ONDE TEM, resgate cupons, colete selos, consiga pontos e ganhe recompensas. Baixe o aplicativo!