Tragédia

Prefeito Edivaldo cria força-tarefa para acompanhar danos causados pelas chuvas em São Luís

As fortes chuvas que caíram neste fim de semana na capital ampliaram o alerta da Prefeitura de São Luís que está com várias equipes nas ruas. Segundo o Núcleo de Meteorologia, da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), nos dois últimos dias, já choveu o equivalente a 217mm, sendo que apenas da 0h até às 9h de domingo há um acumulado de 150mm, e que esse volume deve aumentar. Ainda conforme o núcleo, a média para o mês de maço é de 428mm; e até às 9h deste domingo foi registrado o volume de 582mm. O prefeito Edivaldo Holanda Júnior, desde a manhã deste domingo (24), tem percorrido diversas áreas da capital em especial as que sofreram de forma mais direta com a ação das fortes chuvas que caíram na cidade desde a manhã de sábado (23). A Prefeitura de São Luís mobilizou uma força-tarefa composta por diversas secretarias que estão de prontidão.

Depois das visitas em algumas áreas prejudicadas pelas fortes chuvas, o prefeito Edivaldo se reuniu com o secretariado municipal e com o presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho, na sala de reunião da Prefeitura para  definir as próximas ações desta força-tarefa com o objetivo de minimizar os transtornos causados. “Vamos continuar visitando os locais atingidos e prestando toda assistência necessária”, disse o prefeito.

O superintendente do Iphan, Maurício Itapary, destacou a necessidade da participação dos donos de imóveis no Centro Histórico quando se trata de preservação. “Estamos tentando reduzir os danos materiais. Os donos deste prédio foram notificados por diversas vezes pela Defesa Civil e pela superintendência do Iphan para tomar providência e evitar o que aconteceu. Os órgãos públicos não podem fazer sozinho aquilo que o proprietário do imóvel não deseja fazer. Ele é parte fundamental da preservação. Esse patrimônio histórico pertence à população e ela tem que nos ajudar a preservá-lo”, assinalou.

A Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc), por meio da Defesa Civil, foi acionada para os bairros da Salinas do Sacavém, Sá Viana e Vila Lobão, nos quais houve registro de alagamento e deslizamento de terra, sem vítimas. Nessas comunidades, as casas foram isoladas e os moradores retirados dos imóveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *