Cotidiano

Sindeducação repudia ataques do Deputado Estadual Yglésio Moyses (PROS) aos professores

O Sindeducação vem a público REPUDIAR a falta de decoro do deputado estadual Yglésio Moyses (PROS), médico de carreira, em comentários feitos na rede social Instagram, com total desrespeito aos professores, não apenas de São Luís e do Maranhão, mas de todo o Brasil. O tom agressivo e arrogante predomina na maioria das respostas do parlamentar, que defendeu a antecipação das férias como forma de resolver o problema da paralisação das escolas, ocasionada pela Covid-19.

Em uma das postagens, o deputado responde a uma professora “Nem vou perder tempo contigo. Verminose corporativa”.

CLUBE MAIS DIGA ONDE TEM, resgate cupons, colete selos, consiga pontos e ganhe recompensas. Baixe o aplicativo!

Em outro, que uma internauta questiona o nível do vocabulário utilizado por Yglésio, cobrando respeito aos professores, o deputado responde em tom sarcástico: “Olha a minha cara de preocupado com um arremedo de professora como você, que deve debochar internamente do nome das crianças, que não tem nenhuma culpa do que lhes escolheram os pais. Professora que faz bullying. Risível”, dispara.

O deputado deixa a impressão, em suas redes sociais, que todos aqueles que discordam de suas ideias, criticando a proposta de antecipação das férias, são “corporativistas” e não merecem a devida atenção ou uma resposta respeitosa.

Outro educador que pediu respeito aos professores, recebeu do deputado: “Teu corporativismo acima das causas coletivas me decepciona também”.

O Sindeducação mais uma vez repudia e lamenta tal postura, esclarecendo ao deputado que a entidade sindical está aberta a ser ouvida nesse processo, difícil, de pandemia que atinge o ano letivo das crianças da Capital e de todo o país. Em uma situação inédita de fechamento dos espaços escolares, a arrogância deve dar lugar à sensatez, humildade e diálogo, pois entendemos que somente dessa forma construiremos o caminho da superação. Tudo passa, um mandato parlamentar também!

O deputado Yglésio Moyses deveria consultar, antes de propor, as entidades representativas dos professores, em níveis Estadual e Municipal de São Luís, por exemplo, para ter ciência da orientação nacional emitida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, ou mesmo, conhecer o que diz o Estatuto do Magistério Municipal de São Luís a respeito de paralisações e reposição de dias letivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *