Politica

Vereadores de São Luís irão inspecionar Barragem de Minério da Alumar.

Vereadores de São Luís, coordenados pelo presidente da Câmara Municipal,
Osmar Filho (PDT), realizarão, na quinta-feira (31), uma visita de
inspeção na Barragem de Minério do Consórcio Alumar, localizada na BR –
135.

A caravana parlamentar chegará ao local por volta das 14h e será
recebida por membros da diretoria da empresa.

O objetivo da iniciativa é checar, in loco, o funcionamento dos chamados
lagos vermelhos, locais onde são despejados rejeitos de bauxita,
substância prejudicial aos seres humanos, a fauna e a flora.

Osmar Filho explicou que a tragédia ocorrida na cidade de Brumadinho, em
Minas Gerais, onde uma Barragem de rejeitos da Vale acabou rompendo na
última sexta-feira, ocasionando mortes e sérios danos ambientais, trouxe
novamente à tona o debate acerca do funcionamento e segurança deste tipo
de equipamento utilizado por grandes empresas e multinacionais.

“A Câmara Municipal tem o dever de fiscalizar o funcionamento deste tipo
de equipamento. Além disso, manteremos dialogo permanente com entidades
e órgãos responsáveis pela segurança e fiscalização da empresa”, disse.

O presidente da Casa afirmou, ainda, que o tema será debatido com a
sociedade maranhense através de audiências públicas que serão promovidas
na sede do Legislativo Municipal.

Em nota divulgada recentemente, o Consórcio de Alumínio do Maranhão –
formado pelas empresas Alcoa, Rio Tinto e South32 – garantiu que opera
dentro dos mais altos padrões internacionais e que este trabalho está
alinhado as ações de várias agências ambientais e regulatórias,
incluindo as Secretarias do Meio Ambiente, no sentido de garantir
excelência dos serviços e evitar riscos.

“A Alumar possui sete áreas de Disposição de Resíduos de Bauxita. E
destas, três já foram fechadas e reabilitadas. Aplicando os melhores
recursos tecnológicos e as mais rigorosas normas de engenharia do mundo,
a Alumar, em parceria com a UFMA, tem desenvolvido pesquisas para a
transformação sustentável do resíduo”, afirmou o Consórcio.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *